Tag Archives: Software Livre

Tecnologia – Open Source, Software Livre e Software Proprietário, um entendimento

Open não é Free, entendeu?
Open não é Free, entendeu?

Tem pouco tempo, precisei fazer um comparativo sobre software proprietário e software open. Por todos os anos que trabalho na área, era algo que parecia estar bem claro, mas foi aí que me enganei. Onde estava o erro? Acredito que o relato abaixo deixa isso bem claro, produzido justamente para ser esclarecedor nesse aspecto.

Open Source, Software Livre e Software Proprietário

É importante esclarecer que o modelo Open Source (Software Aberto) não quer dizer necessariamente Free Software (Software Livre), ou mesmo gratuito. Um software Open Source é essencialmente aquele que traz consigo o acesso a seu código fonte, oferecendo a vantagem de poder estendê-lo conforme a necessidade. De qualquer forma, é comum reconhecer um software dito “Open Source” principalmente por sua característica de não haver custos de uso ou licenciamento.

Para as justificativas abaixo, entende-se como software Open Source aquele que além de ser código aberto, também ser gratuito.

Para uma justa comparação, abaixo é descrita, segundo especialistas (ver referências abaixo), as principais vantagens e desvantagens do modelo Open Source:

  • Custo: Mesmo quando paga, a alternativa Open Source no Mercado acaba sendo mais em conta quanto ao custo de licenciamento quando comparada a uma licença de software comercial compatível.
  • Suporte: O software Open Source comumente carrega consigo uma comunidade leal, que fornece a maior parte das inovações, correções e incrementos que o software precisa ter ao longo de seu amadurecimento. Porém, não existe um compromisso efetivo de que determinada característica será aplicada conforme a demanda da solução. O resultado disso é a necessidade da composição de uma equipe especializada neste software.
  • Inovação: O software Open Source, por trazer o código aberto e disponível, torna-se flexível quanto a incrementos de funcionalidade e customizações. Também por isso, este está sempre compatível com as soluções mais atuais do mercado. Como no caso do suporte, carece de uma equipe especializada.
  • Usabilidade e Documentação: Como um software Open Source é feito essencialmente por especialistas de TI, sua qualidade prima pela funcionalidade do código, mas deixa a desejar nos demais aspectos, sendo um dos destaques, a usabilidade. Isso também resulta na produção de documentação e manuais, quando há, já que este não é um requisito do software Open Source, este é em nível muito técnico para ser facilmente entendido pelo usuário final da aplicação.
  • Segurança: A segurança é muitas vezes uma preocupação para as empresas porque o software Open Source não é sempre desenvolvido considerando um ambiente controlado. Com os usuários em todo o mundo colaborando no desenvolvimento, há uma falta de continuidade e sentido comum que impede a comunicação eficaz. Não há garantia de que o software tenha sido revisado ou validado seguindo um conjunto mínimo de critérios de segurança ou normas aplicáveis, podendo inclusive existir a implantação de códigos maliciosos ou brechas de segurança, pela natureza aberta da participação dos voluntários na codificação. Uma maneira de reduzir este risco potencial é a adoção de marcas reconhecidas no mercado, com uma equipe de desenvolvimento concentrado e com o apoio de uma forte comunidade online. Ainda na ótica de segurança, pelo código ser aberto, uma falha descoberta e divulgada pode ser facilmente explorada, o que é uma desvantagem em potencial.

Em contrapartida, para software de código fechado ou Proprietário:

  • Custo: Dependendo da complexidade do sistema, o custo pode variar entre alguns incluindo uma taxa de base para a integração, software e serviços e licenciamento e suporte. Embora o custo possa ser significativo, o resultado é um produto mais personalizado a partir de uma marca de confiança, níveis de segurança e funcionalidades adequados, garantia de atualização, escalabilidade, treinamento e suporte contínuos e uma menor exigência de habilidades técnicas.
  • Suporte: É provavelmente a maior vantagem de usar software proprietário. Apoio contínuo é um ponto de destaque para usuários não técnicos e um dos principais motivos pelos quais estes escolhem este tipo de licenciamento. O suporte inclui manuais do usuário, suporte, assistência imediata de empresas viáveis, com especialistas que estão intimamente familiarizados com os produtos e serviços.
  • Inovação: Alguns vêem a incapacidade de visualizar ou alterar o código-fonte em software de código proprietário ou fechado como uma desvantagem quando comparada com a flexibilidade do software Open Source, já que não há neste, restrições. No entanto, esta restrição garante a segurança e a confiabilidade do software proprietário, que só é seriamente comercializado após ter passado por uma rigorosa bateria de testes. Uma vez mais, software personalizado está disponível para usuários específicos. Ao contrário de código aberto, o software proprietário também atrai grandes quantidades de fornecedores, a fim de regular oferecer novos produtos e atualizações.Como o software Open Source, o software proprietário também tem dedicado comunidades on-line que compartilha ideias e estratégias através de fóruns e pesquisas, promovendo a inovação e permitindo que o produto se adapte à evolução das necessidades.
  • Usabilidade: A usabilidade é um ponto de destaque para o software proprietário devido a testes de usabilidade especialista e visa atingir um público mais segmentado. Manuais do usuário também são fornecidos para a referência imediata e treinamento rápido, enquanto os serviços de apoio e suporte ajudam a maximizar o uso do software. Sistemas de terceiros e desenvolvedores também são capazes de usar uma variedade de mecanismos para melhorar o software de código “fechado”.
  • Segurança: O software proprietário é visto como mais seguro porque é desenvolvido em um ambiente controlado por uma equipe concentrada e com uma direção comum. Esta equipe é o único grupo que pode visualizar ou editar o código-fonte, que é fortemente auditado e o risco de trojans, backdoors ou erros são reduzidos (embora não existe sistema de segurança pode seja perfeito).

Finalizando o raciocínio, o software Open Source é capaz de oferecer o mesmo nível de qualidade de um software proprietário. Porém, como não há garantia de fornecimento de serviço e suporte para estes no mercado, para que o nível de qualidade seja mantido, é recomendado uma equipe própria e especializada nas tecnologias escolhidas, o que exigiria montagem da equipe e respectiva capacitação para geração de toda a documentação a aplicação de suporte necessário.


É claro que esta é uma visão, e como todas elas, tendem a caducar conforme o tempo passa e evolução natural da coisas toma seu rumo. O Open Source se torna cada vez mais maduro, enquanto o Software Proprietário está cada vez mais aberto. O Software Livre sim, por ser um conceito, é algo que dificilmente tende a mudar.

Rerefências

http://www.gnu.org/philosophy/free-sw.html